10 Setembro > 15 Outubro

Inês Osório

Tramas que te tramam ou a rede que te sustenta

 

 

“Num mundo de fluxos globais de riqueza, poder e imagens, a busca da identidade colectiva ou individual,
atribuída ou construída, torna-se a fonte básica de significado social. (…) No entanto, a identidade está a tornarse na principal e, por vezes, única fonte de significado num período da história caracterizado pela ampla
desestruturação das organizações, deslegitimação das instituições, enfraquecimento de importantes
movimentos sociais e pelas expressões culturais efémeras. Cada vez mais, as pessoas organizam o seu significado
não em torno do que fazem, mas com base no que são ou acreditam ser. Enquanto isso, as redes globais de
trocas instrumentais ligam e desligam selectivamente os indivíduos, grupos, regiões e mesmo países, de acordo
com a sua importância no preenchimento dos objectivos processados na rede, num fluxo contínuo de decisões
estratégicas. As nossas sociedades estruturam-se, cada vez mais, em torno de uma oposição bipolar entre a Rede
e o Self.
Nesta condição de esquizofrenia estrutural entre função e significado, os padrões de comunicação estão sobre
tensão crescente. E, quando a comunicação se quebra, quando ela já não existe, mesmo sob a forma de conflito
(…), grupos sociais e indivíduos tornam-se alienados entre si, passando a considerar o outro como um estranho
e, eventualmente, como uma ameaça.”
[“A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura” – Vol.I “A Sociedade em Rede” de Manuel Catells]

.……………………………………

Inês Osório

Nasceu no Porto em 1984, onde vive e trabalha.
Desenvolve trabalho como artista plástica nas áreas de escultura, instalação, desenho e fotografia, intervindo pontualmente
em projectos colectivos de carácter performativo e outros de criação cenográfica, figurinos e adereços. Recentemente
aproximou-se de áreas como o teatro, fotografia analógica, desenho assistido por computador, animação e artes digitais.
Em 2009 finalizou o Mestrado em Escultura com a tese “Do Espaço à Escultura: Transferências de um Corpo”, na
FBAUP,onde se licenciou em Artes Plásticas-Escultura. Entre 2005/2006 foi Bolseira do Programa Sócrates/Erasmus, tendo
estudado na Facultat de Belles Arts de Universitat de Barcelona, Espanha. Iniciou o seu percurso académico no âmbito do
Design de Produto-Cerâmica, na Escola Soares dos Reis (1999-2001), todavia, a sua preocupação com as questões de
domínio do corpo no espaço e suas possibilidades de ocupação, possivelmente reconhecem proveniência na sua formação
inicial em Dança e Expressão Corporal (1989-1999).
Distinguida com o Prémio Bienal de Cerveira (16ª Bienal Internacional de Arte de V. N. Cerveira, 2011); Concurso
Internacional “Azores Combo Art Camp” (seleccionada para residência artística, Açores, 2010); Premiada com Bolsa de
Mérito (melhor classificação Cursos Artes Plásticas FBAUP, 2007) e Menção Honrosa no Concurso “FBAUP Fora de Portas”
(Reitoria U. Porto, 2008).
Expõe colectiva e individualmente desde 2005.


About this entry