17 janeiro > 22 fevereiro

André Rosário

dados a um Problema

dados a um problema

Em “DADOS A UM PROBLEMA”, deparamo-nos com a intenção de anulação do conceito de autor, pelo próprio autor. Este compromisso começa no flyer (objecto de design) _o primeiro contacto que temos com o projecto_ que é elemento indivisível da obra; até à instalação que ocupa o Quarto Escuro. O conceito de diluição poderá ser mais adequado do que anulação, na medida em que se esboroam fronteiras na abordagem plural dos colaboradores ao problema que lhes foi entregue. O que se intenta aqui é o esbatimento da condição autoral ao envolver directamente os mediadores no processo criativo (eminentemente individual), quando tradicionalmente desempenham um papel periférico. Este não foi um labor em rede, antes um exercício individual de cada participante, que reflectiu sobre o enunciado proposto, resultando em material posteriormente processado de forma criteriosa pelo editor. Dificilmente não associaremos o trabalho patente no espaço com a Fonte de Duchamp (Bruce Nauman pode também ser evocado); tal característica não será coincidência ou “preguiça”, antes uma táctica de alinhamento com a herança do criador do readymade (que apropria a “produção” de terceiros como sua obra) e da redefinição de autor.

fred figueiredo


About this entry